08/08/2014

A criança que existe dentro de você


Não importa se você tem 18, 25, 40, 72 anos ou a idade que for, há sempre uma criança dentro de você. Tudo bem, ela pode estar escondida por ter medo da maldade infiltrada na sociedade e você nem percebê-la perto de você, mas observe com atenção.
A criança aparece quando você enxerga animais e palavras nas nuvens do céu, quando você sorri ao olhar para o sol, quando você canta todas as músicas de um desenho novo ou anda pela casa cantando músicas que fizeram parte da sua infância, quando você não consegue dormir e tem vontade de correr para a cama de sua mãe, quando você chora e só precisa de um abraço, quando acontece algo extraordinário com você e tem vontade de compartilhar com os amigos, quando todas as decepções somem ao encontrar seus colegas de aula, quando fica ansioso para comprar um presente, quando se emociona ao ler cartas antigas, quando sorri de forma exagerada (e isso não é nada de errado) ao sentir o cheiro de um livro novo, quando acorda feliz num sábado e quando transborda de alegria ao perceber que sua vida vale a pena.
Como eu disse, há sempre uma criança dentro de você, bem lá no fundo do seu coração. Há quem diga que estou errada, mas prefiro acreditar que estou dizendo a verdade. Afinal, o mundo não seria tão melhor se a gente tivesse o tanto de amor que uma criança tem? Não existiriam guerras - exceto pelas de travesseiro, de comida e disputas de corrida -, e o amor seria a resposta.
Por isso, mesmo que você não sinta que há um pingo sequer de criança bem aí, no lugar mais profundo do seu peito, olhe o mundo com outros olhos e queira espalhar o amor. Muita gente deixou de acreditar nesse sentimento, mas eu morrerei afirmando que ele existe, sim. Porque o amor, mesmo não tendo uma definição universal, faz toda a diferença na vida de cada um.


Vanessa Esteves

2 comentários: