13/09/2013

Resenha do livro: Cidades de Papel

A última resenha que fiz para o blog foi em vídeo, mas como eu estava em dúvida se fazia esta resenha em vídeo ou post, decidi fazer em post mesmo. Se vocês quiserem as próximas resenhas em vídeo, me avisem.


"Cidades de Papel" é um livro de John Green que conta a história de Quentin Jacobsen. A história é narrada pelo personagem, que conhece Margo Ruth Spiegelman desde criança, mas os dois não se falam direito. Numa noite, Margo pede o carro de Q emprestado e pede que ele parta em uma missão com ela. Depois de os dois terem aprontado com algumas pessoas que Margo estava chateada (o que é bem engraçado) e de Q ter ficado com muito medo mas mesmo assim ter se divertido, Margo desaparece, o que não é a primeira vez que acontece, e Q encontra algumas pistas que podem levá-lo até ela. E é nesse momento que as coisas começam a ficar legais, já que Ben e Radar, os melhores amigos de Q, e Lacey, a namorada de Ben e melhor amiga de Margo, juntam as pistas e saem em busca de Margo, mesmo sabendo que ela pode ter cometido suicídio. O que eles não sabiam era que Margo é muito diferente da que eles acreditavam conhecer.


O livro é dividido em três partes: Os Fios, A Relva e O Navio. A história é um pouco parada na primeira parte, mas a partir da segunda fica impossível largar o livro. 

No geral, o livro é MUITO engraçado, tem umas partes de suspense e várias em que o autor nos faz refletir sobre determinada situação por horas. Além disso, no decorrer da história nos é explicado o motivo do livro ser chamado "Cidades de Papel".


O final da história foi bem inesperado para mim, e quando terminei o livro admito que senti saudades dos personagens porque acabei me apegando a eles como se fossem meus amigos.

O livro tem 368 páginas no total e li em, no máximo, três dias.

Espero que tenham gostado da resenha. Não esqueçam de comentar. Beijos e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário