14/07/2014

Quero encontrar o amor


Gostaria de começar este texto demonstrando o quanto estou feliz; mas isso não é verdade. A verdade nua e crua, por assim dizer, é que estou em um daqueles momentos pós-filme de romance. Não, não estou querendo me aparecer nem nada, mas sei que quase todos já se sentiram meio tristes depois que um filme "felizes para sempre" terminou. Nada contra esses filmes, porque geralmente é o gênero ao qual eu mais assisto. Só que quando não conseguimos encontrar ninguém para compartilhar os medos, sonhos, desejos, problemas, e quaisquer outras coisas, achamos que o problema está em nós mesmos, e não no mundo.
Tudo bem, muita gente vai dizer que sou nova, que ainda tenho muita coisa para viver pela frente. Mas enquanto estou aqui, às três horas da manhã de uma sexta-feira escrevendo este texto, muitas pessoas por aí já encontraram o seu amor. Tudo bem, tenho muita coisa para viver, sim; mas não seria muito melhor ter aquele pontapé que precisamos todo dia quando acordamos? E quando digo pontapé, não significa aquela força que recebemos de amigos ou outras pessoas; o pontapé vem de dentro da gente mesmo, só que acompanhado de uma pitada de amor daquela pessoa especial.
Ai, pessoa especial, que coisa clichê para um texto de uma garota de 17 anos. Pois é, fazer o quê. Eu acredito, sim, que existe uma pessoa nesse mundo capaz de me entender e amar todos os meus defeitos (e olha que não são poucos). Podem dizer que estou desperdiçando meu tempo, não curtindo a vida ou o que quer que seja, mas espero que uma pessoa muito especial apareça na minha frente algum dia e mude o jeito como vejo o mundo. Para melhor.
Fazer o quê? Cresci assistindo àqueles desenhos animados em que todos vivem felizes no final e, só para aumentar o pacote, meus avós tiveram a história de amor mais linda do mundo e permaneceram casados por 52 anos, até a morte. 
Então, podem dizer o que quiserem; que amor não existe, que homem é tudo igual e que eu vou ficar encalhada por muito tempo. Tudo bem, eu aguento mais alguns anos sem alguém, mas só me garantam que uma pessoa estará me esperando na porta do meu próprio apartamento perto daquele meu emprego dos sonhos. Que nada, pode ser naquele ponto de ônibus em que fico toda manhã mesmo. Prefiro encontrar o amor na minha rotina do que numa vida que será parte de mais um faz de conta.


Vanessa Esteves

Nenhum comentário:

Postar um comentário