06/06/2014

Assisti: A Culpa é das Estrelas

Quem me acompanha pelo Twitter, página do blog no Facebook ou até mesmo por aqui, sabe que eu fui a pré-estreia do filme "A Culpa é das Estrelas" na última quarta-feira, dia 4 de junho. Fui com algumas amigas, minha mãe e, como consegui comprar mais um ingresso ainda na hora, com minha tia também. 

Pois é, admito para vocês que fiquei um pouco chocada quando fui tentar comprar um ingresso para a minha tia e tinha lugar vago ainda. Diferente das outras pré-estreias, em que comprávamos o ingresso muito antes pela internet e ainda era bastante divulgado, dessa vez não houve divulgação pela internet e os ingressos só puderam ser comprados na hora. Imagino que tenha sido escolha do shopping mesmo de não divulgar, já que em outro shopping da cidade houve divulgação tanto no Facebook quanto no próprio site.

Enfim, fomos as primeiras na fila do cinema e, como o filme atrasou um pouco, ainda conseguimos comprar pipoca e refrigerante. A ansiedade já estava grande, mas quando sentamos na poltrona do cinema ela tornou-se gigante. Espero que gostem do post sobre o filme e não se esqueçam de comentar. CUIDADO! Este post contém SPOILER.


A sessão começou aproximadamente às 00:15. Nessa hora eu já estava devorando minha pipoca e não conseguia tirar os olhos da tela do cinema. Três trailers de adaptações de livros passaram na tela: "Se Eu Ficar", "Garota Exemplar" e "The Maze Runner - Correr ou Morrer". Quando a logo da Fox Filmes finalmente apareceu na minha frente, percebi que a espera valeria muito a pena.


O filme já começa com a primeira cena do trailer, em que Hazel nos conta como é a vida dela e sobre sua doença. Em seguida, os pais insistem para que ela frequente um grupo de apoio e é nessa cena que já começamos a dar boas gargalhadas. Além de já conhecer os pais de Hazel desde o começo, ainda conhecemos Isaac e Patrick. Acompanhamos o dia a dia de Hazel e ficamos com um sorriso no rosto quando o Augustus aparece. A partir de então é que a história começa a se desenrolar e conhecemos o resto dos personagens, com exceção do personagem que John Green interpretou, já que a cena foi excluída.  


O romance entre Gus e Hazel é tão fofo que não tem como não se envolver. A cada cena nos apaixonamos cada vez mais pelo Gus. No começo eu achava que o papel não tinha nada a ver com o ator Ansel Elgort, mas ele provou para todos que ele é perfeito para o personagem.


As cenas em Amsterdã me deixaram com muita vontade de viajar. O cenário é incrível e fez uma perfeita combinação com o casal.


Só me arrependi um pouco com a cena do jantar, em que no livro acontece ao ar livre e no filme foi feita em um restaurante fechado. Fora isso, eles não deixaram de fora a parte em que o Gus diz estar apaixonado pela Hazel (chorei nessa parte) e nem o garçom contando a história sobre o champanhe.

A cena na casa do autor Van Houten me deixou extremamente indignada com ele, e só queria poder entrar na tela e dar uns bons tapas nele. Achei a Lidewij melhor do que eu imaginava, e adorei quando ela levou o casal para conhecer a Casa de Anne Frank.

Além disso, a cena dos dois no quarto do hotel me deixou muito feliz porque GENTE, eles fizeram com que no filme ele também não tivesse uma perna!!!


Além de várias cenas que fazem chorar (que não vou contar aqui, já que não quero estragar o filme todo), há também muitas cenas engraçadas, daquelas que você tem vontade de ser amigo dos personagens para poder rir junto com eles. Como, por exemplo, essa cena em que Augustus e Hazel levam duas dúzias de ovos para Isaac jogar no carro de Monica, sua ex namorada que terminou com ele por não saber se conseguiria conviver com a cegueira dele.

Depois de começar a chorar após a maior tristeza que nós sabíamos que já aconteceria, é impossível parar. Quando o filme acabou, todos aplaudiram e iam saindo da sala, eu ainda estava lá, super emocionada com o quão perfeito o filme tinha ficado e que a espera tinha, sim, valido a pena.

Para quem ainda não assistiu ao trailer, vale a pena dar uma olhada:



Além da trilha sonora ser perfeita (sério, cada música foi encaixada muito bem na cena correta), os atores ficaram perfeitos para seu respectivo papel (apesar de não ter os imaginado assim). E no final do filme, que ainda tocou "All Of The Stars" do Ed Sheeran para começar os créditos? Eu chorando de certeza. Ah, e fiquei sabendo que a Shailene Woodley também chorou quando assistiu ao filme na premiere. É, gente, ninguém escapa. Então, levem lencinhos para o cinema, porque vocês irão precisar. Ainda bem que comprei o meu antes, hehe.

Recomendo o filme a todos e me desculpo se a resenha não chegou aos pés dele, porque acho que não teria como chegar mesmo. O filme ficou tão fiel ao livro que preciso assistir mais umas duas vezes, no mínimo. Espero comentários de vocês nesse post. Okay?
0

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright 2015 - Esteves Where - Todos os direitos reservados.