15/02/2014

Soluções


Deixei minha cama bagunçada essa manhã antes de sair de casa. Meus problemas agora são muito maiores do que aqueles que me davam dor de cabeça há algum tempo. Escolhi me preocupar com o que realmente vale a pena. Mas quem disse que eu sigo sempre essa regra feita por mim?
Os dias estão nascendo nublados e permanecendo assim até o momento em que coloco meus óculos de sol e coloco minha música preferida para tocar. "Não se preocupe" é a frase do momento. São tantos turbilhões na minha cabeça que às vezes me esqueço que o menor problema é estar sozinha. 
Todos querem uma amizade daquelas que te ligam quando sabem que você não está bem, mas não para saber dos seus problemas, e sim para convidar para comer um brigadeiro ou assistir ao filme que acabou de sair no cinema. Não tenho tanta amizade assim, mas as poucas que tenho fazem eu me sentir mais leve. E é disso que preciso quando minha cabeça pesa tanto.
Tem vezes que a vontade é de agarrar o primeiro bichinho de pelúcia que encontrar pela frente e chorar. Mas a solução não precisa ser essa. Como se isso pudesse ser considerada uma solução. É preciso encarar tudo de cabeça erguida, porque querendo ou não, daqui a algum tempo, esses problemas serão tão mínimos que farão a gente amadurecer cada vez mais.
Não existem monstros nem essas coisas assustadoras que tínhamos medo na infância. São só desafios que a vida decidiu colocar no meio do nosso caminho. Nada que uma mão amiga, uma boa cabeça ou até aquela música que nos faz sentir melhor não possam resolver.
Aprendi tanto com os livros que eu li e com as pessoas que conheci, que aquele adeus que dei na semana passada foi considerado uma simples nova etapa da minha vida.
Mas quem disse que eu não me entupi de sorvete depois? Eu sou humana também.

Vanessa Esteves

Nenhum comentário:

Postar um comentário