17/08/2015

A simplicidade

(WeHeartIt)

Se meus vizinhos me vissem olhando para a Lua agora e sorrindo, será que eles me achariam louca? É que eu me interesso pela simplicidade. Aquilo que os olhos podem enxergar me encanta. Mas, na verdade, o que não existe no mundo visível me deixa fascinada. Depois disso, ainda saio cantando pela casa, dançando na frente do espelho e rindo do que faço.
Tenho vontade de espalhar a felicidade pelo mundo. Quero abraçar as pessoas pelas ruas, dar comida àqueles que não têm nada, oferecer carinho aos que precisam e sorrir levando amor aos corações de todos. Somos pequenos na imensidão do planeta, mas grandes na medida certa para fazermos a diferença.
Sempre tive essa vontade de ajudar os outros, independente do dia da semana. Pode ser segunda-feira, não importa. O que interessa é fazer o bem a alguém. Por isso eu observo as estrelas, a Lua, o Sol, o mar e tudo ao meu redor para absorver as energias boas que eles transmitem e guardar isso bem no fundo do meu coração para, assim, eu poder compartilhar com todos ao meu redor.
Eu queria poder alcançar as estrelas, mas já que isso não é possível, que eu conquiste então um sorriso no rosto de cada um. Aliás, sorrisos são tão valiosos quanto as estrelas que vemos lá no céu.
Queria também poder ofertar palavras de conforto aos quais necessitam delas. E ainda espero por um dia em que todos darão valor à vida que têm. Se pudesse, estaria presente em todos os sonhos noturnos dando esperança aos que não a têm mais.
Na verdade, prefiro ser louca ao ser vista olhando a Lua do que uma simples pessoa que não enxerga além de seus próprios problemas. Porque eu sou assim: quero agarrar os problemas da humanidade e jogá-los para o alto, para que assim se transformem em meras constelações caindo do céu.

Vanessa Esteves

[Escrito às 23:04 do dia 17 de agosto de 2015.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário