20/08/2014

Resenha do livro: "Não Se Apega, Não"

Como já havia dito em um post anterior, comprei o livro "Não Se Apega, Não" na segunda sexta-feira de agosto e no domingo seguinte já estava no terceiro capítulo. Pois bem, como a leitura é rápida, nem a semana de prova conseguiu me fazer desistir de ler. Terminei no último domingo e espero que gostem da resenha. Não se esqueçam de comentar <3.


O livro, escrito por Isabela Freitas, da editora Intrínseca, com suas 254 páginas, já começa com um final - o término de dois anos de namoro com Gustavo. No decorrer do livro, Isabela nos ensina a desapegar de várias coisas e nos mostra, no final, que isso não é algo tão ruim quanto todo mundo pensa. Além disso, ela nos apresenta histórias da vida dela, como quando lidou com o assédio de um primo super bonito, com as tentações de frequentar a balada e com o distanciamento de amigos que antes se diziam eternos. Isabela nos mostra que tudo tem uma saída, mesmo sendo a mais difícil.


Logo no começo do livro, já encontramos um índice super organizado (amo coisas organizadas!) e fofo. Com ele, já sabemos mais ou menos quais os tipos de texto que virão pela frente.


Nas quatro páginas seguintes, já encontramos as "20 regras do desapego", sendo as duas primeiras páginas somente uma "capa" bonitinha em folha vermelha.


E nas outras duas páginas, nos são apresentadas as "20 regras do desapego" propriamente ditas. Com uma organização novamente super bonita, é impossível não querer imprimir todas as regras e colar na parede para nunca esquecer.


No começo de cada capítulo, há duas páginas na cor vermelha com um tweet do lado esquerdo, postado no twitter da Isabela Freitas (@IsabelaaFreitas). E na página da direita, há o número do capítulo e o título - geralmente grande. Achei esse título da foto acima um ótimo resumo para a minha vida.


Todos os tweets presentes no livro são daqueles que nos fazem pensar, concordar e querer compartilhar com todo mundo, rsrs. Como por exemplo o da foto acima. Não acham?


Todos os títulos se encaixam perfeitamente ao capítulo referente, e achei ótimo ter sido escrito em uma página inteira, pois assim não passa despercebido.


Gostei muito da diagramação do livro, com uma letra boa de ler e um espeçamento agradável. 

Essa parte do livro foi uma das minhas favoritas, onde ela cita um trecho de um livro que encontrou na estante do avô, se não me engano. Lembrei dos livros que tem na casa do meu vô, e tive vontade de ir até lá e pegá-los para mim.


Admito para vocês que quando comecei a lê-lo e percebi que era livro de auto-ajuda, me desanimei um pouco. Mas depois de não conseguir parar de ler, tanto porque queria saber da história da Isabela como aprender com seus conselhos, percebi que era uma auto-ajuda que saía do convencional. Na verdade, nunca li um livro do tipo, mas as pessoas acabam julgando e isso ficou na minha cabeça.

Enfim, o livro me surpreendeu e agora olho para Isabela Freitas com outros olhos. E levanto o terceiro dedo da mão para aqueles que falam mal sem ao menos saber da história de uma pessoa. Gente para julgar tem em cada esquina, mas para ajudar e ser um amigo fiel, já é raridade. Espero que tenham gostado da resenha e quero muitos comentários lindos. Beijos e até a próxima (com livros do vestibular, se der tudo certo).

Nenhum comentário:

Postar um comentário