11/11/2015

A cor invisível do amor

(WeHeartIt)

Eu não acreditava no que estava acontecendo. É horrível querer ajudar alguém e outras pessoas virem me julgar pela minha aparência, ainda que eu tivesse pele negra e soubesse que vivia em uma sociedade preconceituosa. Há algumas horas, eu estava acessando a internet na faculdade, como em todos os outros dias. Porém li algumas menções de ódio no Twitter direcionadas a um homossexual que declarou seu amor por outro homem e não consegui ficar calada. A minha vontade de ver a justiça existir era grande. Mas, agora, lendo aquelas mensagens de 140 caracteres chegando até mim após tentar fazer o bem me deixou em um beco sem saída.
O mundo é um lugar bonito para se viver, entretanto são as pessoas que o tornam feio. Será que elas precisavam fazer isso? Criar ainda mais conflitos, deixando a paz de lado? Elas não podiam deixar os homossexuais e outros considerados como diferentes viverem suas próprias vidas?
Após alguns minutos, recebi uma mensagem de agradecimento do homossexual e ele me contou sua verdadeira identidade, já que sua foto e nome de perfil eram em homenagem a uma cantora pop. Meu Deus! Ele era meu irmão. Eu havia percebido umas atitudes diferentes dele, mas nunca lhe havia perguntado. Por quê? Esse receio que eu possuía era por medo? Medo de saber que meu único irmão gostava de alguém do mesmo sexo? O amor não era, para mim, o sentimento mais nobre do mundo? Pois que fosse para ele e seu companheiro também.
Depois de aulas cansativas, vários trabalhos agendados para serem entregues e provas acumuladas, naquele mesmo dia, por conta da greve, voltei a acessar a internet pelo celular e não consegui conter minhas lágrimas na frente dos outros alunos. Meu irmão havia cometido suicídio. Enquanto eu estava fora das redes sociais, ele recebeu mais mensagens de ódio e não conseguiu suportar a pressão que sentia para ser alguém diferente do que ele era. E se eu soubesse antes? Será que a situação toda teria esse fim? Eu amava meu irmão, acreditava em seus sentimentos, porém o amor que ele sentia havia sido tratado como uma cor invisível por pessoas que não conseguiam entender o amor. E, assim como as outras pessoas, eu havia me calado sobre quem ele era.

Vanessa Esteves

[Escrito às 15:14 do dia 11 de novembro de 2015.]

3 comentários:

  1. Ok, esse foi o melhor texto que já li. Essae menina não para de me impressionar <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MUITO obrigada, Nati! Fico muito muito muito feliz por isso <3. Ai, sua linda, hehe. Beijos.

      Excluir