23/03/2015

Resenha do livro "Roube como um artista"

Comprei este livro em 22 de janeiro, um dia depois de ter gravado o Book Haul do mês. Só que eu estava querendo tanto este livro que não consegui esperar mais tempo algum para chamar um exemplar de meu. Dia 20 de fevereiro, praticamente um mês depois de comprá-lo, às 4h30min eu estava terminando de ler o "Roube como um artista" e com uma vontade imensa de ligar o notebook e continuar a escrever meu próprio livro. 


"Roube como um artista" - escrito por Austin Kleon, publicado no Brasil pela Editora Rocco e com 160 páginas - nos dá 10 dicas sobre criatividade. Com a mensagem de "você não precisa ser um gênio, só precisa ser você mesmo", Austin nos mostra que qualquer um pode ser criativo. Com dicas de como roubar ideias de outros artistas, de como olhar para o mundo, de onde tirar inspiração e muito mais, esse é um livro para deixar sempre na cabeceira da cama, mas que depois de ler é impossível não iniciar seu projeto, ah, isso é verdade.


Como já dito, o livro nos dá 10 dicas sobre criatividade, sendo cada uma delas apresentada em um capítulo diferente. É impossível dizer qual meu capítulo favorito, até porque um se conecta ao outro e as informações são de ouro.


Com uma diagramação e fontes diferentes do convencional, o livro nos traz uma vontade inexplicável de começar nosso projeto na mesma hora, seja ele um filme, um quadro, uma decoração ou, no meu caso, um livro.


As citações que Austin colocou no decorrer do livro são inspiradoras e dão aquele empurrãozinho que tanto precisamos. Por isso que é sempre bom deixá-lo ao nosso alcance. Assim, quando a falta de inspiração ou de vontade aparecer, ou ambas, é hora de abrir o livro novamente e se aventurar nas palavras do autor.


Na verdade, se eu tivesse que eleger um único capítulo como meu favorito seria o terceiro, "Escreva o livro que você quer ler". Já não é novidade que meu grande sonho é escrever E publicar meu próprio livro. Assim que comprei o "Roube como um artista" eu comecei a escrever meu livro e no decorrer da leitura a vontade de continuar escrevendo só crescia. Hoje, meu livro tem 44 páginas e quase 9 mil palavras. Estou tão orgulhosa que nem sei como demonstrar isso <3.


Além de citações, o autor também inseriu algumas fotos e desenhos no livro, como essa foto acima, em que ele mostra o seu escritório, tendo a parte analógica e a digital. No livro, ele diz que é bem melhor usar a parte analógica em abundância, e só depois passar o que tiver pronto para a digital, sem ter as duas muito próximas uma da outra.


Uma das minhas páginas favoritas foi essa, em que ele pede para espiarmos pela janela, vagar pelas ruas, ir lá fora e comer um sanduíche. Às vezes, estamos tão presos na nossa casa e sem entender o motivo de a inspiração não vir que nem nos damos conta de que precisamos sair um pouco do casulo. Só assim teremos uma mente mais aberta e talvez nosso projeto saia do papel e ganhe vida.


Foram várias as vezes em que me peguei rindo do que o autor tinha escrito em algumas páginas. Nessa, ele desenhou um gráfico para ilustrar a vida de um projeto. No começo, tudo é lindo, mas depois a gente percebe que não saiu muito do jeito que esperávamos e assim vai.


Admito que se eu fosse dar dicas de criatividade eu diria "construa seu próprio mundo". Muitas vezes, minha inspiração vem no exato momento em que olho pela janela e enxergo o mar, as pessoas andando pelas ruas e o sol se pondo no horizonte. Na verdade, vários dos meus textos começaram com essa linda visão. Outros começaram a partir de uma imagem, tenha sido ela feia ou bonita. Não basta ter uma vista linda ao seu redor se você não se identifica com aquilo. Para isso, é bom ter uma ideia de mundo perfeito para você e sempre se enxergar nesse lugar.


Eu gostei tanto dessa página do livro que até postei uma foto dela no Instagram. Muita gente não sabe, mas eu guardo todos os comentários (tanto do blog quanto do canal) em pastas separadas no meu e-mail para ler quando a preguiça ou pouca vontade de fazer algo bate. Querendo ou não, os comentários me inspiram e me trazem uma vontade de continuar com meus projetos e de seguir com meu blog e canal.


Amei tanto essa citação que até já a coloquei em prática. Agora, não escrevo mais o que aconteceu comigo naquele dia, mas sim o que aconteceu de melhor. Assim, eu tenho mais ideias para meus textos e posts para o blog.


O livro é perfeito do início ao fim, e isso vocês podem perceber pela quantidade de fotos que coloquei nessa resenha, hehe. Li semana passada, mas a vontade de lê-lo de novo é imensa. Ainda quero escrever muitas páginas para meu livro, e sei que lendo o "Roube como um artista" mais vezes eu alcançarei o meu objetivo.


O autor também fez uma lista de leituras recomendadas, e certamente lerei a maioria dos livros que ele indicou, pois sei que vão me ajudar bastante.


O livro é tão perfeito que eu nem sei como terminar essa resenha. Só sei que indico a todos, mesmo vocês querendo ser artistas ou não. Pensando bem, todos nós somos artistas, só que muitos não encontramos esse lado dentro de nós próprios. E é isso, espero que assim como ele me ajudou a escrever meu livro, ele ajude vocês com seus projetos, sejam eles quais forem. Beijos e até a próxima!

0

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright 2015 - Esteves Where - Todos os direitos reservados.