19/10/2014

Algumas pessoas têm um certo poder


Acho incrível esse poder que certas pessoas têm de puxar assunto com qualquer um. Estava com minha tia em uma livraria no sábado, esperando minha mãe comprar um livro para minha amiga, quando alguns adolescentes chegaram com mochilas de uma certa agência de viagem. Já tínhamos visto alguns deles na praça de alimentação, mais cedo, então minha tia perguntou a uma garota que estava vendo alguns livros se eles estavam se formando. A partir desse momento, entrei na mesma onda que minha tia e nadei na direção dessa aventura.
Descobrimos que a garota era de São Paulo e estava com os amigos e a agência em Florianópolis por causa da formatura do Terceirão. Fiquei tão empolgada que já perguntei o que ela achou da cidade, se gostou e muito mais. A garota disse que já queria voltar no ano seguinte para prestar vestibular, que adorou a cidade e a única coisa que estragou foi o clima nublado. A partir de então, já engatei um assunto sobre quão louco o clima de Florianópolis é, e que na semana anterior os dias estavam lindos, e no inverno super quente também. Minha tia também me ajudou com os dados, é claro.
Logo em seguida, uma amiga dela chegou carregando três livros e dizendo super animada que um deles resumia a vida dela. Óbvio que na hora minha atenção redobrou, e cresceu mais ainda quando o livro era um que eu já tinha lido e tinha considerado o meu favorito do ano. Infelizmente, ainda não tenho esse poder de puxar assunto com qualquer pessoa. Sempre tenho aquele medo de não levarem na mesma sintonia ou me entenderem errado. Por isso, talvez tenha perdido uma chance de fazer com que a garota tivesse certeza de que aquele era o livro perfeito para a vida dela.
Assim, deixei as duas amigas conversando e fui com a minha tia e minha mãe pegar um autógrafo com um dos escritores que mais admiro atualmente. Com ele, não resumi minhas palavras e contei até um dos meus sonhos. Não é engraçado como a gente consegue se abrir tão rapidamente para uma pessoa? Mesmo assim, são poucas as que conversam com desconhecidos, pelo simples medo de não receberem o mesmo em troca. Espero que algum dia eu consiga aprender perfeitamente esse truque com a minha tia.

Vanessa Esteves

Nenhum comentário:

Postar um comentário