05/09/2014

Meu abraço preferido


Mais importante do que aqueles que vivem sempre perto de mim, você me mostra que pode existir sim, uma amizade que suporta a distância. Não importa se for em abril, setembro ou dezembro, o mês em que você aparecer na minha frente será o melhor de todos. E sabe por quê? Porque você consegue fazer dos poucos minutos em que conseguimos nos ver os mais sinceros possíveis. Eu simplesmente consigo conversar sobre tudo com você. Desde assuntos sobre a profissão que seguirei até os problemas na minha família. E com um simples abraço e palavras de consolo, você consegue tirar todo o peso das minhas costas.
Não que no começo tenha sido fácil, já que achei que você só queria me ver para conseguir um abraço quando a carência batesse. Mas o que eu não conseguia perceber era que, o que você simplesmente queria, era me ver sorrindo. E não importava se fosse com um abraço apertado, um "chego aí em meia hora" ou o simples ato de me levantar para eu me sentir mais alta. Você conseguia transformar minha altura em algo que me deixava orgulhosa, mesmo tendo trinta centímetros a mais que eu.
E de todos os abraços do mundo, eu consegui eleger o seu como o meu preferido, o que me aqueceu daquela brisa gélida que insistia em me deixar encolhida. E depois de tantas risadas, piadas que há muito não fazíamos juntos e abraços aos quais os braços não queriam dizer adeus, você me mostrou que nossa amizade só melhorou com o tempo sem nos falarmos e a distância - mesmo ela sendo curta. Porque é com você que consigo ser, com todas as letras, eu mesma.

Vanessa Esteves

Nenhum comentário:

Postar um comentário