15/06/2014

Diário de intercâmbio: Califórnia, 3º dia

Segunda-feira, 13 de janeiro de 2014
Acordei às 6h, um pouco melhor da noite anterior (que chorei de saudade da minha mãe depois de a mãe da Laís ligar para ela, já que eu estava sem internet e há um bom tempo sem falar com a minha) e também mais descansada. A cama era tão confortável que não queríamos levantar. Mesmo assim, esperamos a Lauren sair do banho, tomei banho primeiro e depois a Laís, arrumamos um pouco as nossas coisas, comemos cereal de café da manhã e fomos levadas pela Gabriella ao ELS, nossa atual escola de inglês. No caminho, ela nos mostrou algumas ruas importantes e onde ficavam os pontos de ônibus e também nos contou algumas histórias de Santa Bárbara.
Como ela não se lembrava muito bem de onde ficava o prédio da ELS, acabamos nos perdendo, ela ligou para o Mike e nisso vimos dois garotos do nosso grupo de intercâmbio. Avisamos a ela quem eram eles e ela nos desejou uma ótima aula e disse que o Mike nos buscaria mais tarde.
O colégio não era nada parecido com o que eu imaginava; ficava localizado em uma esquina, em um prédio com vários escritórios e uma dessas salas era o ELS, com quatro salas de aula pequenas, uma sala de computador, quatro salas para professores e coordenadores, uma sala de espera na entrada e outra perto das salas de aula, onde eram realizados os lanches nos intervalos. Já os banheiros eram do edifício, então tínhamos que pegar uma chave na coordenação para poder entrar.
Aprendemos sobre tudo isso e muito mais durante as três ou quatro "palestras" que tivemos logo depois do teste de nivelamento, em que fizemos uma prova escrita, um listening e conversamos com um professor enquanto ele avaliava nosso vocabulário. Como ainda não sabíamos qual era a nossa sala, fiquei junto com as garotas a manhã inteira e rimos muito com as coisas engraçadas que os coordenadores falavam nas apresentações.
Já que a nossa manhã foi longa e passaria do horário de almoço, o ELS pediu comida do Panda Express, para assim eles conseguirem dar conta de todos os assuntos. Muita gente reclamou da comida, mas eu estava morrendo de fome e nem me importei muito.
Depois de as apresentações acabarem, fui com o grupo e a guia ao T-mobile para comprarmos um chip para o celular. Tinham vários planos diferentes, entre eles um que oferecia internet 4G, ligações e mensagens de texto locais e ligações para o Brasil. Quando paguei, me surpreendi quando tive que assinar com uma caneta digital. Aproveitei que já tinha meu chip para ligar para a minha mãe e matar a saudade, finalmente (ou pelo menos tentar).
Fomos à loja da Apple para alguns do grupo comprarem iPhone, iPad, etc e enquanto isso acessei a internet (paraíso de 4G!) e respondi algumas mensagens. Como estava com muita sede, comprei uma água ao lado de um cinema (que já tinha o pôster de TFIOS; pirei!) e tirei algumas fotos da State Street. Então fomos em direção ao Bus Station (terminal de ônibus) e esperamos pelo nosso host dad, que nos levou para casa. 
Contamos as novidades para a nossa família hospedeira, arrumamos nossas coisas, ganhamos (cada uma) uma pulseira feita pelo Sebastian (AMEI!), jantamos e fomos dormir. Agora, sim, eu estava acreditando nesse sonho.
Beijos,
atual intercambista.

OBS: O chip e o plano custaram em torno de US$70. Achei um pouco caro, sim, mas valeria muito a pena.








0

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright 2015 - Esteves Where - Todos os direitos reservados.